Banco de relatos de acidentes em montanha - CBME

Relatório número 106

*** Caso você conheça as circunstâncias do episódio descrito abaixo e identifique discrepâncias por favor nos comunique***
 
Fonte do relato: Relato escrito por um dos participantes

Tipo de evento: Incidente (quase acidente)

Mês e ano: Agosto  2015
Parte do dia: Tarde
Local: Rio de Janeiro - RJ/Gruta de Passa Vinte
Número total de pessoas envolvidas: 1
Número fatalidades: 0

Tipo de ambiente: Rocha (escalada livre ou artificial)

Etapa da atividade: Subindo (inclui guiando, segundo ou cordas fixas)

Condições atmosféricas no momento: Parcialmente nublado

Causa(s) imediata(s):
Queda

Causa(s) contribuinte(s):
Equipamento ou roupa inadequados

Tipo(s) de ferimento(s):

Nível de experiência dos envolvidos:
Experiente (mais de 3 anos)

Relato:
Escalando no local de escalada esportiva conhecido como Passa Vinte na divisa de MG e RJ.
Escalador A guiava escalando em livre a via esportiva que já estava pré equipada com costuras e mailons em via com proteções fixas em sua maioria chapeletas de grau de exposição baixo (E1).

Ao passar pelo crux da via o Escalador A caiu e nada parecia ter acontecido fora do normal, mas quando ele olhou para a chapeleta viu que o mailon que liga a chapeleta na costura estava com o portão aberto e o corpo do mailon estava deformado devido à força de impacto da queda.
O Escalador A se puxou até a chapeleta e trocou o conjunto mailon e costura por apenas uma costura nova com o mosquetão direto na chapeleta (como de costume).

Prevenção (opinião do relator):
Em locais onde as vias de escalada já estão pré equipadas ou em regiões conhecidas por casos de oxidação de proteções fixas (beira mar), sempre inspecionar o equipamento antes de efetivamente usá-lo, mesmo que para isso o escalador tenha que abrir mão do resultado de um bom rendimento do desempenho.

Especialmente no local apontado nesse incidente, onde as costuras estão em estado de abandono, deve-se ser bastante criterioso na inspeção do equipamento e até mesmo optar por trocá-los mesmo que temporariamente durante o seu uso.

*** Este relato foi fornecido de forma espontânea por um membro da comunidade de montanhistas e reflete sua visão do acidente e sua opinião pessoal. Apesar de fazer máximo esforço para confirmar a veracidade e exatidão dos relatos, a CBME ou seus membros não se responsabilizam por eventuais discrepâncias ou inconsistências encontradas nos relatos, ou ainda se indivíduos ou empresas se sentirem de alguma forma ofendidos ou injustiçados pelo conteúdo do relato, apesar da forma anônima de apresentação dos dados. ***