Banco de relatos de acidentes em montanha - CBME

Relatório número 116

*** Caso você conheça as circunstâncias do episódio descrito abaixo e identifique discrepâncias por favor nos comunique***
 
Fonte do relato: Relato escrito por um dos participantes

Tipo de evento: Acidente

Mês e ano: Dezembro  2017
Parte do dia:
Local: RIO DE JANEIRO - RJ/Pão de Açúcar - via Ás de Espadas
Número total de pessoas envolvidas: 1
Número fatalidades: 0

Tipo de ambiente: Rocha (escalada livre ou artificial)

Etapa da atividade: Subindo (inclui guiando, segundo ou cordas fixas)

Condições atmosféricas no momento: Sol

Causa(s) imediata(s):
Queda
Queda de equipamento

Causa(s) contribuinte(s):
Mosquetão destravado

Tipo(s) de ferimento(s):
Abrasão
Laceração

Nível de experiência dos envolvidos:
Não se aplica

Relato:
Escalador A guiou a via e fixou sua corda na última parada para eventual auxílio do escalador B, que se encontrava abaixo e guiava a segunda cordada. As cordadas estavam sobrepostas. O escalador B passou pelo crux e em determinado momento caiu. Durante a queda, por ato reflexo, o escalador B tentou segurar a corda fixa do escalador A, vindo a queimar as falanges de dedos de ambas as mãos em virtude da fricção da corda com a pele. Ainda, o mosquetão que carregava seu grigri, preso a uma alça lateral do bouldrier do escalador B, se abriu durante a queda e o grigri caiu, quase atingindo os escaladores C e D, que estavam na parada abaixo. O escalador D, que fazia a segurança do escalador B, percebendo a queda do seu guia, segurou a queda com o movimento de bloqueio do ATC. O escalador D então desceu o escalador B de baldinho até a parada onde estavam os escaladores C e D, que prestaram os primeiros socorros para as mãos da vítima. O escalador A rapelou até a parada, reunindo-se com os outros, e desceu junto com o escalador B até a base da via por meio de rapel assistido. Por fim os escaladores C e D também rapelaram até a base.

Prevenção (opinião do relator):
A realização de um treinamento de queda pode ajudar a criar os reflexos certos necessários para o evento de queda do guia.

Durante a queda evitar tentar agarrar corda fixa, ou quaisquer outros objetos tais como plantas, costuras, ou as próprias proteções da via.

Usar mosquetão travado quando carregar equipamentos nas alças laterais do bouldrier. Mosquetões com trava automática dão ao mesmo tempo a segurança e a praticidade necessárias para os equipamentos críticos, como o freio.

*** Este relato foi fornecido de forma espontânea por um membro da comunidade de montanhistas e reflete sua visão do acidente e sua opinião pessoal. Apesar de fazer máximo esforço para confirmar a veracidade e exatidão dos relatos, a CBME ou seus membros não se responsabilizam por eventuais discrepâncias ou inconsistências encontradas nos relatos, ou ainda se indivíduos ou empresas se sentirem de alguma forma ofendidos ou injustiçados pelo conteúdo do relato, apesar da forma anônima de apresentação dos dados. ***