Banco de relatos de acidentes em montanha - CBME

Relatório número 117

*** Caso você conheça as circunstâncias do episódio descrito abaixo e identifique discrepâncias por favor nos comunique***
 
Fonte do relato: Relato escrito por uma testemunha

Tipo de evento: Incidente (quase acidente)

Mês e ano: Dezembro  2017
Parte do dia: Manhã
Local: Rio de Janeiro - RJ/Falésia dos Anéis, Pedra Hime, Jacarepaguá
Número total de pessoas envolvidas: 1
Número fatalidades: 0

Tipo de ambiente: Rocha (escalada livre ou artificial)

Etapa da atividade: Subindo (inclui guiando, segundo ou cordas fixas)

Condições atmosféricas no momento: Sol

Causa(s) imediata(s):
Falha humana ou desconhecimento de técnica

Causa(s) contribuinte(s):
Descuido e pressa

Tipo(s) de ferimento(s):

Nível de experiência dos envolvidos:
Moderada (1 a 3 anos)

Relato:
Eram 5 escaladores, 3 experientes e 2 moderados, 4 deles estavam de visita pela cidade. Escalador A (experiência de 3 anos) tinha pouco tempo para escalar e decidiu ser o primeiro a subir e equipar a via escolhida, relativamente fácil para sua capacidade técnica e física. Equipou-se com pressa e escalou com facilidade até o final da via (5 costuras) e foi descido pelo segurador. Ao chegar no chão percebi que algo estava diferente em sua cadeirinha e constatei que ele não havia fechado corretamente a fivela, esquecendo-se de voltar a fita por dentro da fivela. Depois de constatado o Escalador A corrigiu o problema e agradeceu. Indagado o Escalador A justificou que a cadeirinha não era dele e havia sido emprestada por outro escalador, e ele só tinha o costume de usar cadeirinha de fivela “automática” da qual basta puxar a fita para ajustar a fivela, não tendo a necessidade de voltar a fita pela fivela.

Prevenção (opinião do relator):
O principal fator de prevenção é a informação e habilidade no manuseio do equipamento, principalmente aquele que não se está habituado a usar. A pressa e o descuido no momento de equipar-se e encordoar-se são outros fatores causadores desta ocorrência. E finalmente a falta de uma inspeção mútua entre os escaladores que ali estavam, antes de iniciar a atividade.
Um erro bem comum e fácil de ocorrer mas que é responsável por acidentes graves e fatais.
Recomendações (CBME):
Nunca escalar com pressa e se isso acontecer a atenção deve ser redobrada.
Escaladores devem desenvolver o hábito de revisarem procedimentos e equipamentos uns dos outros.
Menos conversa e mais atenção na hora de fazer os procedimentos.

*** Este relato foi fornecido de forma espontânea por um membro da comunidade de montanhistas e reflete sua visão do acidente e sua opinião pessoal. Apesar de fazer máximo esforço para confirmar a veracidade e exatidão dos relatos, a CBME ou seus membros não se responsabilizam por eventuais discrepâncias ou inconsistências encontradas nos relatos, ou ainda se indivíduos ou empresas se sentirem de alguma forma ofendidos ou injustiçados pelo conteúdo do relato, apesar da forma anônima de apresentação dos dados. ***