Banco de relatos de acidentes em montanha - CBME

Relatório número 131

*** Caso você conheça as circunstâncias do episódio descrito abaixo e identifique discrepâncias por favor nos comunique***
 
Fonte do relato: Relato escrito por um dos participantes

Tipo de evento: Incidente (quase acidente)

Mês e ano: Fevereiro  2020
Parte do dia: Tarde
Local: Niterói - /PESET - Sede Itacoatiara - Acesso às bases das via do Alto Mourão
Número total de pessoas envolvidas: 2
Número fatalidades: 0

Tipo de ambiente: Montanha (trilha)

Etapa da atividade: Caminhando (inclui escaladas fáceis sem equipamento de proteção)

Condições atmosféricas no momento: Sol

Causa(s) imediata(s):
Ataque de insetos

Causa(s) contribuinte(s):

Tipo(s) de ferimento(s):
leve reação alérgica

Nível de experiência dos envolvidos:
Pouca (menos de 1 ano)
Experiente (mais de 3 anos)

Relato:
Fizemos uma atividade de top rope no Campo Escola Helmut Heske, na Enseada do Bananal, na sede de Itacoatiara do Parque Estadual da Serra da Tiririca (PESET), em Niterói.

No final da atividade, levei um amigo para fazer um reconhecimento do acesso às bases das vias Oswaldo Pereira e Face Sudoeste, do Alto Mourão, em que ele pretende futuramente escalar.
Passamos primeiro na base da Oswaldo Pereira e depois na base da via Face Sudoeste, onde demoramos um pouco para que eu pudesse lhe mostrar o primeiro grampo (P) de titânio, alto e de difícil identificação.

Em seguida, identifiquei um vespeiro na árvore ao lado da base da Face Sudoeste. Não vi nenhuma vespa, mas por precaução saímos de lá. Entretanto, 10 metros abaixo senti uma fisgada e vi algumas vespas grandes atrás de mim.
Saímos rapidamente do local sem perceber novas vespas. Descemos seguindo uma sinalização de totens, fitas de saco plásticos e fitas aluminizadas douradas, com meu amigo marcando o caminho no GPS.

Em certo ponto percebi que a marcação nos levou muito para baixo e poucos depois vimos que a trilha estava fechada. Identifiquei que estávamos as uns 150 ou 200 metros dos blocos do início da trilha correta.
Buscamos alguma saída mesmo naquele trecho que devia ser um acesso antigo. Quando tentei subir para voltar e localizar o acesso que tomamos na subida, fui atacado por várias vespas, grandes e pequenas (estas de cor marrom claro). Desci correndo, escorreguei em uma pedra e caí sobre espinhos de Tucum (uma palmeira comum no PESET com espinhos grandes e grossos). O meu colega, que estava mais abaixo, foi me ajudar a levantar e levou uma picada também. Quando conseguimos nos afastar, tirei alguns espinhos de Tucum da mão e algumas pequenas vespas que ficaram presas na minha roupa.

Varamos um mato no ponto em que tínhamos parado na antiga marcação, cruzando uma árvore caída, e rumamos em direção aos grandes blocos e alcançamos a trilha que seguimos na subida.

Recebi de 30 a 40 picadas, sendo 15 delas bastante doloridas e com inchaço e vermelhida, mas não tive reação alérgica forte. Retornamos ao campo escola, onde estava nosso material e passei uma pomada antialérgica e pegamos a trilha de volta à portaria do PESET.

Considerando a distância e o tempo decorrido entre o primeiro e o segundo ataques, imaginei que pudesse ser grupos de vespas diferentes mas não conheço o compartimento deste inseto para descartar que tenha sido o mesmo grupo.

Na portaria do Parque, notifiquei os guarda parques do incidente para que avisem aos escaladores que forem fazer as vias do Alto Mourão, e
fui à Unidade Municipal de Urgência Mario Monteiro, a mais próxima de Itacoatiara. Isto foi importante porque fui medicado com antialérgico mais forte e antiinflamatório e já na manhã seguinte as picadas já estavam sem inchaço e não senti mais dores.


*** Este relato foi fornecido de forma espontânea por um membro da comunidade de montanhistas e reflete sua visão do acidente e sua opinião pessoal. Apesar de fazer máximo esforço para confirmar a veracidade e exatidão dos relatos, a CBME ou seus membros não se responsabilizam por eventuais discrepâncias ou inconsistências encontradas nos relatos, ou ainda se indivíduos ou empresas se sentirem de alguma forma ofendidos ou injustiçados pelo conteúdo do relato, apesar da forma anônima de apresentação dos dados. ***