Banco de relatos de acidentes em montanha - CBME

Relatório número 144

*** Caso você conheça as circunstâncias do episódio descrito abaixo e identifique discrepâncias por favor nos comunique***
 
Fonte do relato: Relato escrito por um dos participantes

Tipo de evento: Acidente

Mês e ano: Julho  2021
Parte do dia: Manhã
Local: Quatro Barras - PR/Anhangava
Número total de pessoas envolvidas: 2
Número fatalidades: 0

Tipo de ambiente: Rocha (escalada livre ou artificial)

Etapa da atividade: Subindo (inclui guiando, segundo ou cordas fixas)

Condições atmosféricas no momento: Sol

Causa(s) imediata(s):
Queda

Causa(s) contribuinte(s):

Tipo(s) de ferimento(s):
Contusão

Nível de experiência dos envolvidos:
Moderada (1 a 3 anos)

Relato:
Relato de queda. Anhangava, via Maria Fumaça, campo das Panelas.

Após escalar as vias Xoxoti e Molhadinha, no Campo das Panelas no Morro do Anhangava, decidimos escalar a via Maria Fumaça, era a primeira vez que entraríamos nela. Após minha parceira de escalada guiar a primeira enfiada, eu fui guiar a segunda. Costurei a primeira em uma das chapas da parada e toquei pra cima, a segunda enfiada deve ter uns 30 metros e possui duas chapas para proteção, é expo! Escalei uns 5 metros, estava confiante, até que em uma parte simplesmente meu pé vazou e só me restou dar umas sapateadas pra trás estilo Moonwalk, berrar e aguardar a corda esticar. Após o voo sinistro bati meio de lado na rocha, tudo ok comigo, fora o susto nada quebrado. Porém minha parceira machucou a mão, pois com o impacto de uma queda de quase um fator 2 (deu uma pequena diminuída no fator em razão da costurada na parada) ela bateu com força a mão na rocha e lesionou o tendão de um dos dedos.

Prevenção (opinião do relator):
A seg estava com a solteira encurtada, se estivesse maior poderia ter diminuído um pouco mais o fator de queda e talvez não daria com tanta força na rocha. Outra coisa também foi que eu entrei bem confiante, já havia escalado duas vias no mesmo setor, fui tocando sem ter feito uma boa leitura da via; por ser expo e ser à vista deveria ter lido melhor. A seg estava com ATC Guide, acredito que um freio auto blocante seria mais seguro em razão do choque dela com a rocha na hora do seg (se rolasse algum desmaio e etc). Por ser uma via de 50 metros é possível escalar ela inteira sem uma parada intermediária ou também pode ser escalada a primeira enfiada, costurar a primeira chapa da segunda enfiada e descer de baldinho até a parada, assim o fator 2 é anulado.


*** Este relato foi fornecido de forma espontânea por um membro da comunidade de montanhistas e reflete sua visão do acidente e sua opinião pessoal. Apesar de fazer máximo esforço para confirmar a veracidade e exatidão dos relatos, a CBME ou seus membros não se responsabilizam por eventuais discrepâncias ou inconsistências encontradas nos relatos, ou ainda se indivíduos ou empresas se sentirem de alguma forma ofendidos ou injustiçados pelo conteúdo do relato, apesar da forma anônima de apresentação dos dados. ***