Banco de relatos de acidentes em montanha - CBME

Relatório número 16

*** Caso você conheça as circunstâncias do episódio descrito abaixo e identifique discrepâncias por favor nos comunique***
 
Fonte do relato: Relato escrito por uma testemunha

Tipo de evento: Acidente

Mês e ano:  2000
Parte do dia: Tarde
Local: São Paulo - SP/Ginásio de escalada
Número total de pessoas envolvidas: 2
Número fatalidades: 0

Tipo de ambiente: Muro de escalada

Etapa da atividade: Descendo (inclui rapel)

Condições atmosféricas no momento: Sol

Causa(s) imediata(s):
Queda
Falha humana ou desconhecimento de técnica
Habilidades excedidas

Causa(s) contribuinte(s):
Habilidades excedidas

Tipo(s) de ferimento(s):
Desconhecido

Nível de experiência dos envolvidos:
Pouca (menos de 1 ano)

Relato:
Escalador A subia via em muro de escalada com segurança feita pelo escalador B.

Quando chegou ao alto da via sentou na cadeirinha para ser baixado e nesse momento a alça da cadeirinha onde estava preso o mosquetão se rompeu e o escalador caiu ao solo.

O mosquetão de rosca ficou preso na corda lá no topo da via, completamente fechado. Olhamos a cadeirinha e constatamos que a alça onde deveria estar preso o mosquetão estava íntegra. Esse modelo de cadeirinha tinha uma alça acessória adicional que servia somente para restringir o movimento lateral do mosquetão e não tinha nenhuma função de carga. Foi por ali que o escalador tinha passado o mosquetão por engano e a alça estourou imediatamente quando foi colocada carga no mosquetão.

Apesar de ter sido corretamente mantido imobilizado deitado no chão por outros escaladores, um dos presentes se identificou como ortopedista e assumiu os cuidados, passando a pedir que o escalador fizesse movimentos com braços e pernas e se sentasse.

A equipe do resgate chegou logo em seguida e colocou o rapaz imobilizado em prancha rígida com colar cervical, e criticaram muito o fato de terem colocado o rapaz sentado.

Prevenção (opinião do relator):
Iniciantes devem ter treinamento adequado antes de começarem a escalar sozinhos mesmo em ginásio.
Recomendações (CBME):
1. Fabricantes devem evitar designs que potencialmente possam causar confusão, principalmente em ítens tão importantes como cadeirinhas, costuras expressas, etc. Alças adicionais sem função de carga em cadeirinhas são desaconselhadas, principalmente próximas ao ponto correto de passagem da corda para encordoamento.

*** Este relato foi fornecido de forma espontânea por um membro da comunidade de montanhistas e reflete sua visão do acidente e sua opinião pessoal. Apesar de fazer máximo esforço para confirmar a veracidade e exatidão dos relatos, a CBME ou seus membros não se responsabilizam por eventuais discrepâncias ou inconsistências encontradas nos relatos, ou ainda se indivíduos ou empresas se sentirem de alguma forma ofendidos ou injustiçados pelo conteúdo do relato, apesar da forma anônima de apresentação dos dados. ***