Banco de relatos de acidentes em montanha - CBME

Relatório número 19

*** Caso você conheça as circunstâncias do episódio descrito abaixo e identifique discrepâncias por favor nos comunique***
 
Fonte do relato: Relato escrito por um dos participantes

Tipo de evento: Incidente (quase acidente)

Mês e ano:  2000
Parte do dia: Manhã
Local: Mairiporã - SP/Pedreira do Dib
Número total de pessoas envolvidas: 4
Número fatalidades: 0

Tipo de ambiente: Rocha (escalada livre ou artificial)

Etapa da atividade: Subindo (inclui guiando, segundo ou cordas fixas)

Condições atmosféricas no momento: Sol

Causa(s) imediata(s):
Fadiga muscular

Causa(s) contribuinte(s):

Tipo(s) de ferimento(s):
Psicológico

Nível de experiência dos envolvidos:
Experiente (mais de 3 anos)

Relato:
Escaladora A guiava via esportiva com segurança feita pelo escalador B. No meio do primeiro lance sofreu fadiga muscular ("tijolou") porque tinha já feito outras vias antes e não conseguiu mais ascender e nem desescalar até o último grampo clipado, ficando parada por longo tempo nas agarras disponíveis, a meio caminho do último grampo, uns 3 metros abaixo, e do próximo grampo, uns 3 metros acima.
Eu, escalador C, guiava a via ao lado com segurança feita pelo escalador D. Estava um pouco abaixo e não tinha percebido nada de anormal porque estava concentrado na via, mas o segurança dela falou com meu segurança na base da via e chamaram minha atenção e então ofereci ajuda quando a alcancei. Perguntei se ela poderia aguentar ali mais alguns minutos, o que ela confirmou.
Subi repidamente até minha próxima parada que não estava longe, coloquei dois mosquetões de rosca nas chapeletas e passei ali minha corda. desci de "baldinho" até ela pendulando, prendi minha solteira na cadeirinha dela e fomos baixados assim por meu segurança.
No fim deu tudo certo.

Prevenção (opinião do relator):
Evitar pegar uma via quando estiver na eminência de fadiga muscular, o que infelizmente é difícil de saber quando vai acontecer.

*** Este relato foi fornecido de forma espontânea por um membro da comunidade de montanhistas e reflete sua visão do acidente e sua opinião pessoal. Apesar de fazer máximo esforço para confirmar a veracidade e exatidão dos relatos, a CBME ou seus membros não se responsabilizam por eventuais discrepâncias ou inconsistências encontradas nos relatos, ou ainda se indivíduos ou empresas se sentirem de alguma forma ofendidos ou injustiçados pelo conteúdo do relato, apesar da forma anônima de apresentação dos dados. ***