Banco de relatos de acidentes em montanha - CBME

Relatório número 41

*** Caso você conheça as circunstâncias do episódio descrito abaixo e identifique discrepâncias por favor nos comunique***
 
Fonte do relato: Relato escrito por um dos participantes

Tipo de evento: Incidente (quase acidente)

Mês e ano: Maio  2000
Parte do dia: Tarde
Local: Rio de Janeiro - RJ/Via
Número total de pessoas envolvidas: 2
Número fatalidades: 0

Tipo de ambiente: Rocha (escalada livre ou artificial)

Etapa da atividade: Subindo (inclui guiando, segundo ou cordas fixas)

Condições atmosféricas no momento: Nublado

Causa(s) imediata(s):
Queda
Via suja, ainda não terminada e pouco repetida

Causa(s) contribuinte(s):
Sem capacete
Habilidades excedidas
Erro de orientação
Via suja, ainda não terminada

Tipo(s) de ferimento(s):
Laceração
Contusão

Nível de experiência dos envolvidos:
Pouca (menos de 1 ano)

Relato:
Entramos no Babilônia à tarde, depois de um dia chuvoso atrás de uma via que pudéssemos escalar (a parede estava seca mas a trilha úmida) e escolhemos uma via de 3º grau (Soleil), que tínhamos condições de guiar. Estávamos muito acostumados a escalar nessa parede e conhecíamos várias vias da mesma. Mas não conhecíamos a via em que estávamos entrando.
Erramos a base da via (apesar de estarmos com o guia na mão) e entramos na via errada que por não estar terminada, não estava presente no Guia, era um 3º Vsup, muito suja, por ser pouco repetida, posteriormente batizada de "Ainda Não".
O escalador A, meu parceiro, guiou até a primeira parada dupla, me puxou e decidiu não continuar pois sentiu-se cansado para tal.
Eu, escalador B, estava me sentindo bem, olhei a via, achei que dava, e tinha a "certeza" que estava na Soleil, mais simples.
Toquei pra cima, costurei o 1º grampo, quando estava perto do 2º grampo escorreguei na sujeira da via numa pequena horizontal pra direita. Tomei uma vaca, devia estar com a corda no meio das pernas, pois caí de cabeça pra baixo, tinha esquecido o capacete na mala do carro, e bati a cabeça na pedra, fiquei tonta, por alguns segundos devo ter perdido a consciência.
Caí pouco abaixo do escalador A, que ficou desesperado mas como eu voltei logo à consciência e consegui voltar à parada dupla, ficou tudo meio bem. Rapelamos, eu estava toda suja, tinha sangrado muito a cabeça, a camisa rasgou e também estava toda suja de sangue. Troquei a camisa para não assustar as outras pessoas e também porque teria que sair pela portaria do Bondinho e não queria problemas com os funcionários e nem encrenca pra nós escaladores, para que não bloqueassem nossas escaladas naquela parede.
No final foi um grande susto e uma cicatriz na cabeça que me lembrou dos erros durante alguns anos.
Na semana seguinte voltamos na mesma via, só que acompanhados de um instrutor. Esse procedimento de retornar na mesma via logo, foi para que eu não ficasse traumatizada e continuasse a escalar. Deu certo. Rsrs

Prevenção (opinião do relator):
Nunca escalar sem capacete e nem "pular" nenhum procedimento de segurança.
Ter certeza de conhecer a via onde se vai escalar ou ter capacidade técnica para resolver os problemas.
Escalar com as condições climáticas perfeitas e não em vias úmidas quando ainda se é iniciante (menos de 1 ano de prática).

*** Este relato foi fornecido de forma espontânea por um membro da comunidade de montanhistas e reflete sua visão do acidente e sua opinião pessoal. Apesar de fazer máximo esforço para confirmar a veracidade e exatidão dos relatos, a CBME ou seus membros não se responsabilizam por eventuais discrepâncias ou inconsistências encontradas nos relatos, ou ainda se indivíduos ou empresas se sentirem de alguma forma ofendidos ou injustiçados pelo conteúdo do relato, apesar da forma anônima de apresentação dos dados. ***