Banco de relatos de acidentes em montanha - CBME

Relatório número 68

*** Caso você conheça as circunstâncias do episódio descrito abaixo e identifique discrepâncias por favor nos comunique***
 
Fonte do relato: Relato escrito por um dos participantes

Tipo de evento: Acidente

Mês e ano: Janeiro  2014
Parte do dia:
Local: Serra do Cipó - MG/Grupo 3
Número total de pessoas envolvidas: 2
Número fatalidades: 0

Tipo de ambiente: Rocha (escalada livre ou artificial)

Etapa da atividade: Descendo (inclui rapel)

Condições atmosféricas no momento: Sol

Causa(s) imediata(s):
Queda
Falha humana ou desconhecimento de técnica

Causa(s) contribuinte(s):
Segurança inadequada

Tipo(s) de ferimento(s):
Laceração
Fratura

Nível de experiência dos envolvidos:
Experiente (mais de 3 anos)

Relato:
Escalador A escalava uma via de 60m no grupo 3 utilizando uma corda com trançados diferentes para demarcar o meio da corda e desconhecia se a corda já havia sido cortada ou não. Ao realizar o primeiro rapel colocou a corda no meio determinado pelo trançado e deu inicio ao rapel. Uma das pontas estava 4 metros menor que a outra e chegando à parada a corda menor passou pelo ATC e prussik, gerando a queda do escalador A.
O escalador B estava somente dando segurança e auxiliou no regaste, chamando outros escaladores para ajudá-lo.

Prevenção (opinião do relator):
Independente das circunstâncias e rotina como rapel em vias esportivas deve-se sempre dar o nó nas pontas da corda.
Análise (CBME):
Cordas de malha dupla para demarcar cada uma das metades trazem consigo o inconveniente de que se a corda for cortada em uma das extremidades a demarcação da metade passa a não valer mais, adicionando mais um potencial erro ao rapel, como aconteceu nesse caso.
Recomendações (CBME):
1) Sempre dar o nó na ponta das cordas antes do rapel.
2) Se houver necessidade de cortar uma das pontas de uma corda de malha dupla, considerar cortar o mesmo comprimento na outra ponta, de modo que o ponto de mudança do trançado continue a representar o meio da corda.

*** Este relato foi fornecido de forma espontânea por um membro da comunidade de montanhistas e reflete sua visão do acidente e sua opinião pessoal. Apesar de fazer máximo esforço para confirmar a veracidade e exatidão dos relatos, a CBME ou seus membros não se responsabilizam por eventuais discrepâncias ou inconsistências encontradas nos relatos, ou ainda se indivíduos ou empresas se sentirem de alguma forma ofendidos ou injustiçados pelo conteúdo do relato, apesar da forma anônima de apresentação dos dados. ***