Banco de relatos de acidentes em montanha - CBME

Relatório número 73

*** Caso você conheça as circunstâncias do episódio descrito abaixo e identifique discrepâncias por favor nos comunique***
 
Fonte do relato: Relato escrito por um dos participantes

Tipo de evento: Acidente

Mês e ano: Agosto  2014
Parte do dia: Manhã
Local: Rio de Janeiro - RJ/Pão de Açúcar, Via Italianos
Número total de pessoas envolvidas: 2
Número fatalidades: 0

Tipo de ambiente: Rocha (escalada livre ou artificial)

Etapa da atividade: Subindo (inclui guiando, segundo ou cordas fixas)

Condições atmosféricas no momento: Nublado

Causa(s) imediata(s):
Falha humana ou desconhecimento de técnica

Causa(s) contribuinte(s):
Agarra quebrou

Tipo(s) de ferimento(s):
Abrasão
Contusão
Estiramento
TCE (Concussão)

Nível de experiência dos envolvidos:
Pouca (menos de 1 ano)
Experiente (mais de 3 anos)
Escalador A e B

Relato:
Escalador A: aproximadamente 40 anos, 6 meses de experiencia. Iniciou a escalada da Via Italianos, chegando na primeira parada preparou a seg do escalador B abaixo.

Escalador B: 32 anos, 3 anos de experiencia. Ao entrar no crux da primeira enfiada, uma agarra se rompeu e houve queda. O escalador A falhou na montagem da parada e freio, utilizando sistema ATC.
O escalador A depois de equalizar a parada montou o freio no loop de sua cadeirinha e não passou a corda em um mosquetão da fita equalizada. Portanto, a corda saía do ATC direto pra baixo, fazendo assim a segurança do escalador B.

Escalador A se atrapalhou ao recolher a corda e quando escalador B caiu pela quebra da agarra existia um espaço de +/- 5 metros. Quando a corda esticou ele não conseguiu freiar dada a posição em que se encontrava o ATC.

A corda queimou gravemente sua mão direita fazendo com que ele a soltasse
completamente. Com o peso do escalador B e mais o fator queda, a corda deslizou
por dentro do freio até o impacto do escalador B com o solo.

Escalador B caiu faltando +/- 3 metros para chegar na primeira parada até o chão. Houve perda da consciencia e resgate pelo corpo de bombeiros.

Prevenção (opinião do relator):
Treinamento supervisionado
Recomendações (CBME):
É importante que a dupla detenha de forma sólida todos os conhecimentos básicos relacionados a cadeia de segurança durante a escalada, isso contempla os nós, montagem de paradas, uso correto dos freios, backup durante o rapel, ascensão por corda fixa, etc...

Havendo dúvida quando à capacidade técnica de um dos parceiros, é preferível fazer uma reciclagem ou ter todas as dúvidas sanadas e procedimentos bem estabelecidos.

*** Este relato foi fornecido de forma espontânea por um membro da comunidade de montanhistas e reflete sua visão do acidente e sua opinião pessoal. Apesar de fazer máximo esforço para confirmar a veracidade e exatidão dos relatos, a CBME ou seus membros não se responsabilizam por eventuais discrepâncias ou inconsistências encontradas nos relatos, ou ainda se indivíduos ou empresas se sentirem de alguma forma ofendidos ou injustiçados pelo conteúdo do relato, apesar da forma anônima de apresentação dos dados. ***