Banco de relatos de acidentes em montanha - CBME

Relatório número 75

*** Caso você conheça as circunstâncias do episódio descrito abaixo e identifique discrepâncias por favor nos comunique***
 
Fonte do relato: Relato escrito por uma testemunha

Tipo de evento: Incidente (quase acidente)

Mês e ano: Setembro  2014
Parte do dia: Manhã
Local: Lagoa Santa - MG/Lapinha
Número total de pessoas envolvidas: 2
Número fatalidades: 0

Tipo de ambiente: Rocha (escalada livre ou artificial)

Etapa da atividade: Subindo (inclui guiando, segundo ou cordas fixas)

Condições atmosféricas no momento: Sol

Causa(s) imediata(s):
Falha humana ou desconhecimento de técnica

Causa(s) contribuinte(s):

Tipo(s) de ferimento(s):

Nível de experiência dos envolvidos:
Pouca (menos de 1 ano)

Relato:
Eu estava me preparando para entrar eu uma via, quando percebi que o escalador A (que estava na via ao lado) estava sem segurança. O escalador B, estava na base, olhando o escalador A, sem fazer sua proteção. A corda estava toda no chão. O escalador A estava entre a 2a e a 3a proteção, e ao ser questionado o motivo de estar sem segurança, respondeu que apenas iria equipar a via.
Rapidamente, peguei a corda dele e fiz sua segurança, até que este finalizasse a via e descesse.
O escalador B revelou que era a sua primeira vez no ambiente "outdoor", que apenas escalava em academia.
Claramente, o escalador B não estava dando segurança pois não sabia que era para ele dar segurança.
Não perguntei o tempo de experiência do escalador A, mas acredito que seja pouca, pois quando questionei sobre sua segurança, ele não percebeu de imediato que o procedimento (a ausência do segurança) estava errado.

Prevenção (opinião do relator):
Palestras realizada nas academias sobre segurança.
Análise (CBME):
Diferentemente de ginásios, onde se pode controlar o acesso e monitorar o nível de conhecimento do escalador para poder começar, seja através de cursos de introdução ou mesmo uma sessão introdutória, as bases das vias na rocha não são controladas da mesma maneira e o acesso é livre.
Pessoas familiarizadas de alguma maneira com o manuseio do equipamento básico em ambiente de ginásio podem ter a falsa impressão que vias em ambiente natural possam ser escaladas com mesma técnica e equipamento.
Recomendações (CBME):
Seria interessante que se incluísse no material informativo dos ginásios de escalada (poster, termo de responsabilidade, etc.) esclarecimentos sobre a diferença existente entre escalada em ginásio e rocha e a necessidade de um curso básico para se iniciar em escalada em rocha.

*** Este relato foi fornecido de forma espontânea por um membro da comunidade de montanhistas e reflete sua visão do acidente e sua opinião pessoal. Apesar de fazer máximo esforço para confirmar a veracidade e exatidão dos relatos, a CBME ou seus membros não se responsabilizam por eventuais discrepâncias ou inconsistências encontradas nos relatos, ou ainda se indivíduos ou empresas se sentirem de alguma forma ofendidos ou injustiçados pelo conteúdo do relato, apesar da forma anônima de apresentação dos dados. ***