Banco de relatos de acidentes em montanha - CBME

Relatório número 92

*** Caso você conheça as circunstâncias do episódio descrito abaixo e identifique discrepâncias por favor nos comunique***
 
Fonte do relato: Relato escrito por um dos participantes

Tipo de evento: Acidente

Mês e ano: Julho  2016
Parte do dia: Manhã
Local: Rio de Janeiro - RJ/Morro do Cantagalo, via 22 de outubro
Número total de pessoas envolvidas: 2
Número fatalidades: 0

Tipo de ambiente: Rocha (escalada livre ou artificial)

Etapa da atividade: Subindo (inclui guiando, segundo ou cordas fixas)

Condições atmosféricas no momento: Parcialmente nublado

Causa(s) imediata(s):
Queda

Causa(s) contribuinte(s):

Tipo(s) de ferimento(s):
Abrasão
Fratura

Nível de experiência dos envolvidos:
Pouca (menos de 1 ano)
Experiente (mais de 3 anos)

Relato:
Escalador A e B subiram a via com tranquilidade e alternando-se na guiada. Escalador B, pouco experiente (menos de um ano), distraiu-se na chegada da última parada dupla (segundo este croqui, a P5: http://www.companhiadaescalada.com.br/pt/mais/croquis/croqui-22-de-outubro/) e deixou escorregar o pé de apoio, estando já com a mão livre para alcançar o primeiro grampo. Na queda teve escoriações no braço e perna esquerdos, fraturando o tornozelo esquerdo.

Convém assinalar que o escalador B guiou do lance até o P2, o escalador A guiou então do P2 (passando o crux) ao P4 e o escalador B guiou de novo a partir do P4.

O escalador A seguiu até o fim da via, descendo de rapel. O escalador B desceu também, apoiando apenas no pé direito, até a base, passou pela calha de água e continuou o rapel até o começo da trilha. Dois outros escaladores, que passavam por ali no momento, ajudaram a carregar o escalador B e seu equipamento até o estacionamento na rua Alfonso López, de onde este seguiu para atendimento médico.

Prevenção (opinião do relator):
O acidente poderia ter sido facilmente evitado apenas com mais atenção e prudência do escalador B, que ao verificar o aumento de suas habilidades de escalada em rocha tornou-se excessivamente confiante, menosprezando o conhecimento de segurança adquirido no curso básico e em escaladas anteriores (como manter sempre três apoios na rocha e não relaxar até estar solteirado).

*** Este relato foi fornecido de forma espontânea por um membro da comunidade de montanhistas e reflete sua visão do acidente e sua opinião pessoal. Apesar de fazer máximo esforço para confirmar a veracidade e exatidão dos relatos, a CBME ou seus membros não se responsabilizam por eventuais discrepâncias ou inconsistências encontradas nos relatos, ou ainda se indivíduos ou empresas se sentirem de alguma forma ofendidos ou injustiçados pelo conteúdo do relato, apesar da forma anônima de apresentação dos dados. ***