Banco de relatos de acidentes em montanha - CBME

Relatório número 93

*** Caso você conheça as circunstâncias do episódio descrito abaixo e identifique discrepâncias por favor nos comunique***
 
Fonte do relato: Relato escrito por um dos participantes

Tipo de evento: Incidente (quase acidente)

Mês e ano: Julho  2016
Parte do dia: Tarde
Local: Rio de Janeiro - RJ/Corcovado, via K2
Número total de pessoas envolvidas: 2
Número fatalidades: 0

Tipo de ambiente: Rocha (escalada livre ou artificial)

Etapa da atividade: Subindo (inclui guiando, segundo ou cordas fixas)

Condições atmosféricas no momento: Sol

Causa(s) imediata(s):
Falha humana ou desconhecimento de técnica

Causa(s) contribuinte(s):
Segurança inadequada

Tipo(s) de ferimento(s):

Nível de experiência dos envolvidos:
Experiente (mais de 3 anos)

Relato:
Escaladora A guiou a 5ª e última enfiada da via K2 e armou parada equalizada em 2 árvores. Em seguida, montou a segurança de forma incorreta para o Participante B: clipou o mosquetão HMS à parada e à ALÇA do ATC Guide, sem usar o anel de metal próprio do equipamento. A Escaladora A comunicou ao Participante B de que a segurança estava pronta, SEM CHECAR se estava montada corretamente. O Participante B começou a escalar e já tinha passado da 2ª costura quando uma agarra de mão quebrou e ele caiu. O ATC Guide não travou a corda conforme deveria se estivesse montado corretamente, mas funcionou como um ATC normal. Nesse instante, a Escaladora A percebeu seu erro: APENAS A ALÇA DO ATC GUIDE ESTAVA SEGURANDO O PESO DO PARTICIPANTE B. Caso arrebentasse, o Participante B sofreria um grave acidente. A Escaladora A, então, clipou um mosquetão D de rosca ao anel de metal do ATC Guide, porém não conseguia clipá-lo no mosquetão HMS por onde estava passada a alça do freio. Pegou um outro mosquetão simples (de uma costura que havia desmontado antes) e o conectou ao mosquetão D e ao HMS. Até esse momento, o Participante B não sabia que havia algo errado e já estava retomando a escalada, quando a Escaladora A informou que havia montado a segurança de forma incorreta. O Participante B clipou sua solteira no 2º P e a Escaladora A refez a montagem da segurança, da forma correta.

Na opinião da Escaladora A, foi a sorte e a combinação de 3 fatores que impediram que ocorresse um acidente:
1) a alça do ATC Guide aguentou o peso do Participante B;
2) a Escaladora A estava segurando a corda no momento da queda do Participante B;
3) o local contribuiu para que fosse possível travar a queda do Participante B, mesmo com o ATC Guide montado de forma inadequada: A via é positiva no final e, após terminar o trecho em rocha, a parada é montada para a direita, num local em que é possível ficar em pé. Da posição em que a Escaladora A se encontrava, a corda descia do freio numa diagonal para a direita e para baixo, passava rente à direita de uma outra árvore e só então seguia reta até o Participante B. No momento da queda, a mão esquerda da Escaladora A estava segurando a corda, funcionando como "mão-freio" e, como a corda esticou para a diagonal direita-abaixo, a Escaladora A supõe que as cordas devam ter formado um ângulo de pelo menos 90º a partir do freio. Caso a parada fosse em um local mais vertical, com o Participante B logo abaixo da Escaladora A, seria improvável que ela conseguisse travar a queda.

Prevenção (opinião do relator):
Para prevenir situações semelhantes, deve-se sempre verificar e testar a montagem dos equipamentos, questionando-se com calma como o sistema funcionaria em caso de queda.
Recomendações (CBME):
É importante que o escalador que esteja dando segurança informe imediatamente ao outro participante caso detecte algo errado na montagem da parada, para que o segundo participante se clipe imediatamente à proteção mais próxima e alivie o peso na corda para que o problema da segurança possa ser resolvido. Especial atenção tem que ser tomada pela pessoa corrigindo a montagem da segurança nesse momento no sentido de ancorar a corda que está indo para o segundo escalador, que em nenhum momento deve ser deixado com a corda solta mesmo estando ancorado com auto-segurança.

*** Este relato foi fornecido de forma espontânea por um membro da comunidade de montanhistas e reflete sua visão do acidente e sua opinião pessoal. Apesar de fazer máximo esforço para confirmar a veracidade e exatidão dos relatos, a CBME ou seus membros não se responsabilizam por eventuais discrepâncias ou inconsistências encontradas nos relatos, ou ainda se indivíduos ou empresas se sentirem de alguma forma ofendidos ou injustiçados pelo conteúdo do relato, apesar da forma anônima de apresentação dos dados. ***